Dermatologistas e profissionais da saúde pública estão conscientes a respeito dos perigos da radiação ultravioleta (RUV) do sol e câmeras de bronzeamento. Os dois tipos de radiação ultravioleta são ultravioleta A (UVA) e ultravioleta B (UVB). O UVB tem sido associado a queimaduras solares e câncer de pele, já o UVA tem seu efeito reconhecido na penetração profunda da pele que pode causar danos maiores relacionados com o envelhecimento, mas também com o câncer de pele.

Embora é sabido que o excesso de radiação ultravioleta pode ser prejudicial, novas informações podem ser dadas à respeito, com dados mais significativos. Recentemente alguns cientistas tem sugerido haver uma associação da radiação UVA com o melanoma, o tipo mais grave de câncer de pele.

Quais os perigos do bronzeamento?

O câncer de pele tem sido associado com queimaduras, mas até o bronzeamento moderado pode produzir o mesmo efeito. Radiação ultravioleta do sol e das câmaras de bronzeamento pode causar câncer de pele, dano prejudicial no sistema imunológico e envelhecimento prematuro da pele, resultando em uma pele envelhecida.

O sol é saudável para pele?

Recentemente foi levantada a preocupação com a limitação da exposição solar e a produção de vitamina D. Mas mesmo uma pequena quantidade da luz do sol é suficiente para o corpo produzir vitamina D, dispensando a necessidade do bronzeamento.

As pessoas atualmente estão se prevenindo da luz do sol?

O número de cânceres cutâneos tem aumentado com o passar dos anos devido ao aumento da exposição à radiação ultravioleta do sol e câmaras de bronzeamento. Mais de 1.3 milhão de novos casos de câncer de pele tem sido diagnosticados nos EUA por ano.

Os tipos de câncer de pele causados pelo sol e pela câmara de bronzeamento são facilmente curados?

Não necessariamente. O melanoma que tem uma relação importante com a exposição aos raios ultravioleta A é fatal se não detectado recentemente. O número de casos de melanomas está aumentando nos EUA com um número estimado de 47.000 novos casos e 7.700 mortes detectadas por ano.

A pele de pessoas jovens mostra esses efeitos prejudiciais?

A ação do sol na pele, o envelhecimento cutâneo e o câncer de pele são efeitos que aparecem com o passar dos anos. Infelizmente o dano solar não é visível de imediato e adultos jovens estão frequentemente desprotegidos dos perigos do bronzeamento. Isto mostra que câncer de pele continuará a aumentar em pessoas que estão se bronzeando, especialmente na fase da infância, adolescência e adulto jovem.

Por que algumas pessoas podem se bronzear por muitos anos e não mostram nenhum sinal de dano solar na pele?

Pessoas que se bronzeiam possuem um risco muito grande de desenvolver câncer de pele. Isto é especialmente verdadeiro se o bronzeamento ocorre no período de muitos anos devido ao dano na pele ser acumulativo. O envelhecimento prematuro da pele (rugas) pode ocorrer em qualquer pessoa repetidamente exposta ao sol por um longo período de tempo. O dano pode demorar mais tempo para aparecer em pessoas com pele mais escura.

Tipos de pele e riscos:

Pessoas com os tipos de pele I II e III, possuem um grande risco devido à exposição solar:

Tipo I – pele branca clara, sempre queima nunca bronzeia.
Tipo II – pele branca queima facilmente, bronzeiam minimamente.
Tipo III – pessoas brancas (a grande maioria) queimam moderadamente bronzeiam gradualmente a castanho claro.
Tipo IV – castanho claro: levemente bronzeada, queima-se minimamente sempre se bronzeia bem, a um castanho moderado.
Tipo V – castanho moderado ou bronzeado: raramente se queimam, bronzeiam-se ao extremo.
Tipo VI – nunca se queimam, se bronzeiam profundamente.

Lâmpadas solares e câmaras de bronzeamento são mais seguras que a luz solar natural?

Não. A maioria das lâmpadas e câmaras de bronzeamento emite especialmente radiação ultravioleta A. Chamados raios de bronzeamento são menos capazes de desenvolver uma queimadura solar comparado à radiação ultravioleta proveniente do sol. Por outro lado a vermelhidão causada pelo sol também serve de advertência de que a pele já ultrapassou o limite de tolerância. Assim o bronzeamento nas câmaras UVA gera dano da pele sem o paciente perceber. Ao contrario do preconizado algumas empresas de bronzeamento, que tentam fazê-lo de maneira segura, na verdade causam um dano cutâneo profundo imperceptível no momento da sua realização.

Os raios UVA tem uma relação muito suspeita com o melanoma, e como os raios UVB, também podem ser relacionados aos danos do sistema imunológico e envelhecimento cutâneo prematuro. No Brasil o seu uso está proibido.

Dicas para evitar danos solares

Planejar as atividades externas de maneira a evitar à exposição solar mais forte. Como regra evitar o sol entre as 10 e 16 horas.

Usar roupas protetoras como chapéus, calças compridas e camisetas coloridas para reduzir a penetração dos raios UV.

Usar óculos de sol que tenha proteção UV 100%.

Quando estiver em ambientes abertos sempre usar protetores solares de amplo espectro, com fator de proteção solar 30 ou maior que irão bloquear tantos raios UVA e UVB. Aplicar protetores solares 30 minutos antes da exposição e reaplicar a cada duas horas.

Para mais informações à respeito da radiação ultravioleta, adquirir o índice de raios UV global, através de jornais, rádio, TV ou pela própria internet. O índice ultravioleta é medido de 0 a 10, quanto maior o número, maior o nível de raios UV.

Procure um médico dermatologista quando observar uma pinta diferente, uma lesão escamativa ou uma ferida que não cicatriza. Isso pode ser um pré-câncer ou um câncer de pele. Se desenvolver um prurido severo ou irritação do sol, isso pode ser uma reação alérgica. O dermatologista é capaz de tratar ou reverter o dano solar, assim como rugas e outras afecções cutâneas, com tratamentos médicos, intervenções cirúrgicas dermatológicas.

Acredita ter problemas com Bronzeamento clique agende uma consulta agora!