melanoma

O que é Melanoma

Melanoma é um câncer de um tipo de células da pele chamadas melanócitos. Os melanócitos são responsáveis pela produção da melanina. Câncer é uma condição na quais as células crescem sem limites e ou de maneira desordenada e alterando suas funções. Os melanócitos normais vivem em uma camada inferior da pele e produzem um pigmento acastanhado chamado melanina, o qual é responsável pele coloração da pele.

O melanoma ocorre quando melanócitos perdem sua função normal por alteração do DNA, crescendo e invadindo outros tecidos. O melanoma aparece na superfície da pele onde é facilmente detectado e tratado. Se houver tempo necessário para crescer, o melanoma pode crescer para dentro da pele alcançando o sangue e vasos linfáticos, espalhando através do corpo (metástase), causando uma doença de difícil tratamento. É curável quando detectado precocemente, mas pode ser fatal se progredir e se espalhar.

O mais importante é detectar o melanoma, precocemente, quando ele ainda está na superfície da pele.

O que causa Melanoma

As verdadeiras causas do melanoma não estão totalmente esclarecidas. Entretanto está claro que a exposição solar excessiva especialmente quando ocorrem queimaduras solares que formaram bolhas na infância ou vida adulta jovem, podem promover o desenvolvimento do melanoma. Há evidências que a radiação ultravioleta do sol e dos equipamentos de bronzeamento artificial podem causar melanoma. O risco para desenvolvimento do melanoma também pode ser genético.

Quem desenvolve Melanoma

Qualquer pessoa pode desenvolver o melanoma, mas os adultos sensíveis a luz do sol e de pele clara são mais suscetíveis. Uma vez que a radiação UV que vem do sol é o maior vilão, pessoas que se bronzeiam com dificuldade ou se queimam facilmente são os que tem maiores riscos de desenvolver esse tumor. Em adição a exposição excessiva do sol ao longo da vida, pessoas com muitas pintas (nevo melanocítico), também tem mais riscos de desenvolver o melanoma. Pessoas que possuem em média 30 ou mais nevos devem ficar atentas, entretanto pessoas com mais de 50 nevos tem o risco aumentado. Além do número de nevos aumentado pessoas que tem nevos com aspecto irregular, merecem atenção especial. Esse nevo é conhecido como nevo displásico ou nevo atípico. Pessoas portadoras de nevo atípico possuem maior chance de desenvolver o melanoma.

Melanoma também ocorre em famílias. Alguns fatores ajudam a descobrir o melanoma como:

  • Pele clara.
  • História de queimadura solar.
  • Mais de 50 nevos melanocíticos.
  • Nevos melanocíticos atípicos.
  • Parentes próximos que tiveram melanoma.
  • Qualquer pessoa pode desenvolver melanoma, mas pessoas com um ou mais fatores de risco são mais suscetíveis. Exames cutâneos periódicos realizados por um dermatologista também podem ajudar.
  • O exame de mapeamento corporal com Dermatoscopia Digital (LINK) pode ajudar no diagnóstico de nevos melanocíticos de comportamento atípico e do melanoma.

Diagnóstico de Melanoma

O melanoma pode ocorrer em qualquer lugar da pele ou das unhas até em lugares não necessariamente expostos ao sol como olhos, membranas, mucosas da boca e genitais ou até órgãos internos. É muito comum no dorso dos homens e pernas de mulheres. O melanoma é geralmente castanho ou negro, mas algumas vezes, embora raro, podem ser vermelhos, multicoloridos ou brancos. Pode aparecer de um nevo pré-existente ou aparecer em uma pele normal. Melanomas crescem lentamente, entretanto, lesões que crescem, mudam e se tornam irregulares podem se tornar suspeitos. Quando aparecer uma mancha na pele é importante respeitar a regra do ABCD.

ABCD do Melanoma

Assimetria: desenhando uma linha imaginária no meio da lesão cada metade deve ser comparada face a face, e suas duas metades devem ter o mesmo tamanho e formato. Melanomas são geralmente assimétricos o que significa que um lado não é igual ao outro. Melanomas podem também ser planos ou aumentados e elevados.

Borda: os limites ou bordas de um melanoma são geralmente irregulares, a borda pode ser granulosa, chanfrada, borrada ou pobremente definida.

Cor: pintas ou nevos melanocíticos benignos (não cancerosos) pode ter qualquer cor, mas um nevo deve ter apenas uma cor: o castanho. Melanomas geralmente variam em tons de cor entre o castanho e negro. Algumas vezes podem ser brancos, vermelhos ou azuis. Frequentemente tem uma variedade de matizes e cores dentro da mesma lesão.

Diâmetro: enquanto o melanoma é geralmente maior que 6mm, quando diagnosticados, pode ser menor.

Quando observar uma pinta com características descritas no ABCD do melanoma, e que cocem ou sangrem (mesmo se for pequeno), deve procurar um dermatologista. Além do exame físico, o dermatologista pode solicitar o mapeamento corporal com dermatoscopia digital (LINK) para ajudar no acompanhamento de nevos melanocíticos, assim como no diagnóstico de nevos melanocíticos atípicos e melanoma.

Tratamentos disponíveis para Melanoma

O melhor tratamento é a detecção precoce. Uma consulta com um dermatologista pode confirmar a lesão suspeita de melanoma. Uma vez confirmado, deve-se realizar a biópsia. Isto envolve anestesia local da área para remover a lesão ou uma porção dela, para que seja examinado microscopicamente, por um médico patologista. Esse procedimento é rápido e simples e realizado no consultório do dermatologista.

O tratamento de um melanoma começa com a remoção cirúrgica da lesão e após uma nova cirurgia é realizada para retirar a pele ao redor. A remoção dessa pele ao redor é conhecida como “ampliação de margens cirúrgicas”, e é feita para ter certeza que o tumor foi totalmente retirado. Um melanoma recente, limitado na camada mais superficial (epiderme), é conhecido como melanoma ‘in situ’ e a simples remoção cirúrgica garante normalmente 100% de cura. Se não tratado, o melanoma cresce em profundidade na pele e promove uma situação mais difícil de ser tratado. O melanoma pode alcançar os vasos sanguíneos e linfáticos se não tratado. Quando um melanoma se espalha, vai primeiramente para os linfonodos. Os linfonodos são parte do sistema linfático, constituído por uma série de vasos responsáveis pela limpeza do tecido humano. Diferentes linfonodos servem diferentes partes do corpo. É possível encontrar um melanoma no linfonodo antes de espalhar para outra parte.

Um procedimento chamado “linfonodo sentinela”, é uma forma de identificar o primeiro linfonodo no qual o melanoma é drenado. A decisão de realizar a técnica da pesquisa do linfonodo sentinela depende da profundidade do melanoma na pele e do risco de se espalhar. Uma biópsia do linfonodo também pode ser feita. Essa seria uma remoção cirúrgica de linfonodos os quais são examinados pelo microscópio.

Exames adicionais para identificar Melanoma

Um exame físico completo deve ser feito. Exames complementares podem ser feitos por exames laboratoriais de sangue e técnicas de imagem como raio X, tomografia computadorizada, ressonância magnética, tomografia por emissão de pósitrons e densitometria óssea podem ser incluídas.

Em casos iniciais o tratamento é feito somente com a remoção cirúrgica da lesão, seguida da ampliação das margens. Uma vez que o melanoma se espalhou (metastatizou) e os linfonodos foram acometidos, tratamentos diferentes são complementados a essa programação que pode incluir remoção cirúrgica, quimioterapia, imunoterapia ou radioterapia. As vacinas não tem se mostrado efetivas para o tratamento do melanoma.

Prevenção do Melanoma

Uma vez que a exposição excessiva a radiação solar é um fator contribuinte para o melanoma, é de bom senso usar protetor solar, evitar exposição solar entre 10 e 16 horas, quando o sol é mais forte. Protetores de amplo espectro e que bloqueiem raios UVA e UVB devem ser reaplicados a cada duas horas. Use chapéus de abas largas e óculos de sol, assim como roupas protetoras e coloridas. Evite bronzeamento artificial.
O diagnóstico precoce é o melhor tratamento, entretanto, é importante ficar atento para as lesões regulares que estão crescendo. Auto-exame deve ser realizado frequentemente.

Lembre-se de observar as regras do ABCD do melanoma, e procurar um dermatologista periodicamente para um completo exame da pele. Se uma lesão de pele estiver mudando, procure um dermatologista imediatamente.
Outras informações sobre melanoma acesse o site: www.gbm.org.br.

Acredita ter problemas com Melanoma clique agende uma consulta agora!